19 de mai. de 2021

{Review} Patins Inline Rye

Demorei, mas cá estou falando sobre esse indivíduo: O patins Inline da Rye.






Num passado bem distante, quando tudo isso aqui ainda era mato, a Rye lançou uma base inline:


Na época (2013 aproximadamente, eu só conhecia o SnowWhite que é um patins para patinação artística, já falei dele várias vezes aqui no blog) e assim como a maioria das pessoas leigas, que chegam neste humilde bloguinho, eu achava que qualquer patins com base inline, freio frontal e bota de salto, era artístico.

Não gentemmmm, não é!


O atual modelinho da Rye, é mais um exemplo de inline que confunde a cabeça da galera. Só porque o patins tem botinha com cara de profissional.

O bonitão da Rye, vendido nas versões Preto, Branco ou Cross, é um patins de lazer, pra brincar no asfalto e pras bonitas que tem mania de freio frontal. (eu!)

Ele vem com bota igual do Rye Amazon (dureza baixa), base flat, freio pequeno e rodas de dureza ok pra pisos ruins (85a).


FICHA TÉCNICA DA CRIANÇA:

(diretamente do site da Rye)

O Patins In line é destinado para atividades de lazer. Ideal para quem gosta de patinar no asfalto.


BOTA R2S
Produzida em couro ecológico de dureza baixa, forrada e estufada, super confortável, indicado para os primeiros movimentos na patinação. Possui um "salto", que coloca o patinador na posição correta e elegante de patinação. Dureza baixa 35.

BASE
Base em alumínio polido com freio regulável. Freio nos dois pés.

ROLAMENTO 608
Rolamento de dupla vedação, com tampas nos dois lados, que protegem contra pó e sujeiras.

RODAS XTREME
Rodas Xtreme de 70mm, com Dureza 85A. Ideal para andar no asfalto.

R$ 828,00

LINK DA RYE


É UM PATINS DE LAZER! Muito bom, muito bonito, mas pra lazer!

Qual é a diferença deste patins pros patins de base artística? TUDO!


Um artístico inline tem base roqueada, bota de dureza alta e freios de maciez e tamanhos específicos para saltos e giros da artística.

Patinação artística exige sustentação de tornozelos, isso é fato. Pra iniciação artística no quad, as botas de dureza baixa são ok, mas não no inline! A sustentação é outra, já que a base de apoio é muito estreita em relação ao quad.

Sou insuportavelmente chata em relação a botas moles, imagina então num inline?  (tenho problemas nos tornozelos, me julguem!)


Considerações finais.


Antes que me atirem pedras, sim eu testei o Inline da Rye com bota Amazon e posteriormente com bota Sonata e com outra dureza de roda. (foto)

Ele é completamente diferente do quad e "estranho" pra quem anda de inline, já que não tem salto. 

Tudo é questão de adaptação. EU não curti.

Testei o upgrade ao lado, não rockeado, senti muito mais segurança nos tornozelos.

Para rockear a base da Rye é necessário colocar uma roda de pelo menos 4mm maior no centro da base.




Quem anda bem de inline (principalmente a galera do slalom) se adapta fácil ao Inline da Rye, mesmo a base sendo mais curta que um inline convencional. Quem anda bem de quad, apanha um pouco, mas se vira fácil nesse "trem".


Ah tia Su...se eu rockear a base da Rye e colocar uma bota bem dura, tenho um inline artístico? Tem!

Vale a pena fazer isso? Na minha opinião, não.





3 comentários:

  1. Oi Su, qual freio vc está usando nessa foto com a bota da sonata? Pois vi que o freio dele é branco. Esse é melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é o profissional da Rye. Mais aderente e mais elástico que o branco

      Excluir
  2. Bom dia! Estava justamente procurando pela resenha desse modelo inline da Rye! Muito obrigada por compartilhar a sua experiência com esse modelo!

    ResponderExcluir

Patine conosco, deixe seu comentário